domingo, 22 de agosto de 2010


Se sentaria ali por horas, muito embora o mundo fosse grande e se sentisse pequena de mais, grãos de areia fazem os olhos coçar...
O grito essencial seria sumir, o rumo de encontro ao vento , a volta não prevista e o tempo errante contra ele mesmo, diga que não recebeu cartas nem atendeu telefonemas, não caber em si é um grande devaneio.
Pediu demissão no mesmo dia, não esperou seus direitos, esses ela já os possuía, esperar não cabia mais na mala, que mala?
Carregou o corpo e a mente cansada por anos, agora só levaria a si mesma dentro desse contexto as passagens estavam compradas ha anos, queimou fotos e deixou o lixo na porta, pra deixar bem claro que não morava mais ali, cartões de crédito e avisos prévios? Que se dane! A vida não dá aviso prévio.
Aos idiotas o pão, aos ociosos o vinho, aos sábios a água.



2 comentários:

Fátima disse...

O texto está lindo!

Mas nossa, nunca vi algo tão complicado...rs ( vc sabe do que falo), foi html, quadradinho..rs. Deu o que falar!!

Mas valeu a pena, ficou muito bom!!
Beijos meu

César disse...

Oi, lindinha.
Eu escolheria a água, mas...como não captei o sentido da frase..será que vou ter que me contentar com o pão?
rsssss

abraços, sempre linda mulher..